Data: 20/10/2021 11:08 / Autor: Redação / Fonte: CDHU

CDHU inicia construção de mais 30 moradias em aldeias indígenas

Com investimento de R$3,8 milhões da companhia, as unidades habitacionais vão abrigar famílias da etnia guarani de cinco aldeias que compõem a reserva indígena do Ribeirão Silveira


CDHU inicia construção de mais 30 moradias em aldeias indígenas
CDHU inicia construção de mais 30 moradias em aldeias indígenas

Crédito: Governo do Estado de São Paulo

A Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), empresa vinculada à Secretaria de Estado da Habitação, iniciou a construção de 30 moradias para atender famílias da etnia guarani que vivem em cinco aldeias da reserva indígena do Ribeirão Silveira, localizada entre Bertioga e São Sebastião, no litoral de São Paulo. As novas casas foram especialmente projetadas pela companhia, respeitando os usos e hábitos culturais dos guaranis.

Nesta fase, serão investidos pela companhia R$ 3,8 milhões na implantação do empreendimento, chamado de "Bertioga E". No total, o convênio assinado com a prefeitura de Bertioga prevê a construção de 120 unidades nesta reserva indígena.

As casas, erguidas em alvenaria, terão 62 m² de área útil com uma sala conjugada com a cozinha, dois dormitórios, área de serviço e varanda com fogão a lenha. A cobertura terá telhas de barro e as paredes internas serão azulejadas. O projeto arquitetônico foi desenvolvido especialmente pela CDHU com a participação das lideranças indígenas e da Fundação Nacional do Índio (Funai).

"As moradias terão um formato ovalado, próprio da cultura guarani, que remete às casas de reza existentes nestas comunidades", explica Maria Cláudia da Costa Brandão, gerente de Programas para Demandas Especiais da CDHU. Outra característica da unidade é ganhar uma faixa decorativa externa a ser executada pelo morador. "Foram realizadas diversas reuniões com a comunidade até chegarmos a esse formato final, que atende aos anseios dos próprios moradores", complementa Maria Cláudia.

As unidades contarão com rede de energia e abastecimento de água. O saneamento básico será executado pela Prefeitura de Bertioga com a instalação de um conjunto de fossas sépticas com filtragem e sumidouro para destinação ecológica do esgoto tratado a fim de garantir a preservação do meio ambiente e a saúde dos indígenas. A localização das casas é indicada pela própria comunidade, levando-se em conta a rede de parentesco entre as famílias. São priorizadas as áreas sem vegetação. A conclusão das 30 moradias está prevista para junho de 2023. Em 2006, essa mesma reserva indígena recebeu 59 unidades habitacionais.

A CDHU vem apresentando soluções habitacionais para as reservas indígenas desde 2001 por meio do Programa de Moradia Indígena, que visa a melhoria da qualidade de vida desta população. O objetivo é substituir a habitação precária por uma casa nova, com tipologias adequadas aos usos e hábitos culturais de cada etnia. Desde sua implantação, o programa já entregou 556 unidades novas em 15 aldeias do estado de São Paulo.

"Esse programa é um orgulho para a CDHU. Os investimentos são feitos a fundo perdido e atendem a uma causa muito especial: a preservação da cultura dos nossos ancestrais. Oferecemos habitações seguras e confortáveis, respeitando os hábitos de cada etnia", afirma Silvio Vasconcellos, presidente da CDHU.

Comente aqui