Data: 26/09/2021 08:00 / Autor: Andréa Brock / Fonte: ABCdoABC

Como prevenir doenças da terceira idade?

Gerontóloga explica como prevenir doenças como Alzheimer, diabetes senil e outras desde cedo


Você já teve ou tem um caso de Alzheimer na família e tem medo de uma herança genética? Ou diabetes senil? Pois saiba que é possível adiar ou até prevenir as doenças mais comuns da terceira idade desde cedo com a ajuda de um gerontologista. Mas afinal o que faz um gerontólogo (a)?

Letícia Semensato Santos, graduada em Gerontologia pela Universidade Federal de São Carlos – UFSCar, com duas pós-graduações, uma em Especialização em Reabilitação Cognitiva pelo Departamento de Neurologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e outra em Aperfeiçoamento em Psicogeriatria pelo Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, explica que

Gerontologia é a ciência que estuda o processo de envelhecimento em suas mais diversas dimensões.

A palavra Gerontologia deriva do grego (gero = envelhecimento + logia = estudo) que significa estudo do envelhecimento.

e é o campo interdisciplinar e multidisciplinar que visa a descrição e a explicação das mudanças do envelhecimento e os seus determinantes psicológicos, socioculturais e genéticobiológicos. A especialidade abrange os aspectos do envelhecimento normal e patológico e que resultam em problemas tanto individuais como coletivos.

Segundo ela, o profissional com essa formação, devido ao aumento de idosos, a prevalência de patologias crônicas e os novos arranjos familiares, busca soluções que relacionem a qualidade do cuidado, manutenção do bem-estar de vida e o gerenciamento adequado de recursos humanos e financeiros.

Além de prevenir, o gerontólogo também ajuda familiares e profissionais que estão cuidando de pacientes acometidos pelas doenças da terceira idade, como Alzheimer e outras demências. Isso porque a rotina de uma casa com um paciente com Alzheimer e outras demências deve ser adaptada. E é importante cuidar do entorno também, pois a família e os que estão próximos de um doente com Alzheimer também sofrem muito com a doença. “ É importante criar uma rotina a fim de que toda a família do paciente consiga conviver com a doença de uma maneira que ninguém prejudique suas rotinas ou pelo menos prejudique o menos possível”, afirma a profissional.

Avaliação: a metodologia da profissional consiste inicialmente em uma Avaliação Gerontológica, que tem como finalidade avaliar o idoso por meio de testes validados e de habilidade gerontológica para rastreio das dimensões de ordem mental, física e social para futuras intervenções.

Outra etapa do tratamento é a realização de sessões de reabilitação e estimulação cognitiva, que tem como objetivo favorecer o autoconhecimento, a autocrítica e a metacognição; aumentar a atividade e participação social; promover maior independência nas atividades de vida diária; prevenir o envelhecimento cerebral e incrementar a qualidade de vida.

Num mundo cada vez mais tecnológico, a inclusão dos idosos no mundo digital se faz necessária, respeitando os limites da segurança. Sendo assim Letícia ensino os idosos a usarem seus smartphones, tablets ou notebooks na Oficina de Tecnologis 60+, que facilita as relações sociais e a atualização com o mundo, permite a autonomia e a independência, além de que evita com que se sintam excluídos diante de tantos avanços de uma sociedade cada vez mais tecnológica.

A profissional explica que é importante conhecer a rotina desse idoso. As vezes pequenos ajustes nas atividades cotidianas, na alimentação e nos hábitos podem trazer ganhos consideráveis no tratamento do paciente,?tornando-o mais sociável e afastando o aparecimento de sintomas mais cruéis das doenças, principalmente as relacionadas às demências.

MAS, COMO PREVENIR DOENÇAS NO PROCESSO DE ENVELHECIMENTO?
Letícia costuma dizer que o envelhecimento é o espelho de toda a nossa vida, por isso desde jovem deve-se buscar ter os melhores hábitos.

“Parte dos problemas de saúde que apresentamos durante o processo de envelhecimento podem ser de origem genética, ou das exposições que nosso organismo tenha ou do nosso estilo de vida, que é uma das causas que possibilita a nossa intervenção”, comenta.

Para ela, de forma geral não existe muito segredo em relação ao que deve ser feito para prevenir doenças. Mas alguns costumes ajudam a afastar a possibilidade de doenças relacionadas a demências, como é o caso do Alzheimer. Manter hábitos saudáveis, praticar exercícios físicos regularmente, ter os momentos de lazer e descontração para descanso, fazer acompanhamento médico periodicamente para quando houver um agravo da saúde o diagnóstico seja precoce e buscar manter a memória ativa e estimulada são algumas orientações da profissional. Afinal, a melhor idade exige mais atenções.

Doenças mais comuns na terceira idade
O processo de envelhecimento é individualizado, o que significa que nem todos terão diagnóstico de alguma patologia. Porém as doenças mais frequentes nos idosos são: hipertensão arterial, diabetes, artrite, osteoartrose e as demências.

Quando procurar um gerontóloga?
Letícia explica que não existe uma idade certa para quando se deve procurar um gerontologo. Porém, se o que se espera é ter um envelhecimento saudável, o certo é buscar um profissional quando se sentir confortável e achar necessário iniciar o acompanhamento preventivo.

Dra. Letícia Semensato Santos
Dra. Letícia Semensato Santos

Crédito: Arquivo Pessoal

Comente aqui