Data: 06/09/2021 15:17 / Autor: Redação / Fonte: Funarte

Espetáculo ‘Proibido Elefantes’ encerra Etapa Nordeste do Festival Acessibilidança

Montagens ficam disponíveis para acesso gratuito no canal da Funarte no YouTube logo após o lançamento


Cenas do Espetáculo ‘Proibido Elefantes’,
Cenas do Espetáculo ‘Proibido Elefantes’,

Crédito: Companhia Giradança

A Fundação Nacional de Artes lança, na quarta-feira, dia 8 de setembro, às 20h, o espetáculo Proibido Elefantes, do Rio Grande do Norte. A montagem, da Companhia Gira Dança, encerra a terceira fase do Festival Funarte Acessibilidança, que tem sete espetáculos da Região Nordeste. Segundo a companhia, proporcionar acesso do público em geral a uma montagem como Proibido Elefantes é colocar a sociedade em frente a um espelho. “Mesmo no campo subjetivo que é a criação em dança, a obra absorve diversas vivências, sejam elas dos corpos dançantes que estão no vídeo ou de pessoas que passaram pela vida deles”, diz o grupo.

As sessões do Festival Funarte Acessibilidança, em vídeos com audiodescrição e Libras, ficam disponíveis no canal da Funarte no YouTube (bit.ly/FunarteYouTubeFestivalAcessibiliDanca) logo após o lançamento. A programação gratuita teve início em junho e vai até o final de outubro, com a publicação dos 25 projetos contemplados.

A obra desta semana fala sobre o olhar como via de acesso; porta de entrada e saída de significados. “O modo como percebemos a realidade é resultante do diálogo que estabelecemos com ela. Nosso olhar é constituído pela realidade, assim como a realidade é constituída pelo nosso olhar — a construção do sentido transita em via de mão dupla. O olhar enquanto apreensão subjetiva do mundo é, neste trabalho, apontado como elemento potencializador do sujeito diante dele”, frisa o coletivo.

Proibido Elefantes tem concepção, direção geral e coreografia assinadas por Clébio Oliveira, e a direção artística fica a cargo de Alexandre Américo. O vídeo da montagem tem 55 minutos de duração e é indicado a maiores de 16 anos. “Proibir elefantes, neste espetáculo, é proibir o olhar que ressalta as limitações, os impedimentos e que duvida da capacidade do sujeito frente à adversidade. Proibir elefantes, aqui, é apostar no olhar do sujeito sobre si e sobre o mundo em que vive como elemento ressignificador e instaurador de realidade”, reforça a Gira Dança.

Festival Funarte Acessibilidança

Acesso gratuito, no canal: bit.ly/FunarteYouTubeFestivalAcessibiliDanca

Com audiodescrição e Libras

Espetáculo Proibido Elefantes, da Companhia Giradança (Rio Grande do Norte)

Dia 8 de setembro, quarta-feira, às 20h

Classificação indicativa: 16 anos

Duração: 55 minutos

Ficha técnica

Concepção, coreografia e direção: Clébio Oliveira / Direção artística: Alexandre Américo / Assistente de coreografia: Álvaro Dantas / Bailarinos e criação: Álvaro Dantas, Jania Santos, Joselma Soares, Marconi Araújo, Iego José e Ana Vieira / Produção executiva: Celso Filho /Trilha sonora original: Toni Gregório / Figurino: Loris Haas / Colaboração: Daniela Fusaro / Design de luz: Ronaldo Costa / Operação de luz: David Costa.

Agenda dos contemplados das demais regiões

Região Centro-Oeste - Dia 15 de setembro

Região Sudeste - Dia 13 de outubro

Região Norte (espetáculos já disponíveis): Lua de Mel, da Cia. Lamira Artes Cênicas (TO); Maculelê: Reconstruindo o Quilombo, do Grupo de Dança Reconstruindo o Quilombo (RO); e Solatium, do Corpo de Dança do Amazonas (AM)

Região Sul (espetáculos já disponíveis): Flamenco Imaginário, da Cia. Del Puerto (RS); Convite ao Olhar, da Cia. de Dança Lápis de Seda (SC); e Do Avesso, do Grupo Nó Movimento em Rede (PR)

Região Nordeste (espetáculos já disponíveis): Estado de Apneia, do Grupo Movidos Dança Contemporânea (RN); Ensaio sobre o Silêncio, da coreógrafa Taciana Gomes (PE); Maré - Versão virtual e acessível, do Coletivo CIDA (RN); Rio sem Margem (BA), do bailarino Elísio Pitta; Plenitude, da Cia. Dança Eficiente (PI); e Ah, se eu fosse Marilyn!, do coreógrafo Edu O. (BA)

Os vídeos ficam disponíveis no canal da Funarte no YouTube após a exibição

Comente aqui