Data: 27/09/2021 20:23 / Autor: Redação / Fonte: Fábricas de Cultura

Fábricas de Cultura apresentam intervenções para os 100 anos da Semana de Arte Moderna

O programa oferece uma agenda voltada ao movimento modernista e às vanguardas contemporâneas das periferias até o próximo ano


Crédito: Camille Ramos

As Fábricas de Cultura Brasilândia e Jaçanã apresentam uma performance e um bate-papo sobre as estéticas da arte periférica, respectivamente, como releituras da Semana de Arte Moderna de 1922. As unidades integram o programa Fábricas de Cultura, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e gerenciado pela Poiesis, o qual vem oferecendo uma agenda voltada ao movimento modernista e às vanguardas artísticas atuais das periferias. O objetivo é mostrar os contrapontos entre a antropofagia cultural dos anos 1920 e a de hoje. Confira os destaques de outubro.

O coletivo Zéfiro Norte estará na Fábrica de Cultura Brasilândia no dia 8 de outubro, sexta-feira, às 18h, com a performance "Novamente 22". O público poderá assistir a transmissão pela página do programa no Facebook.

O coletivo de teatro com jovens das periferias da zona norte da capital paulista, formado a partir do Projeto Espetáculo das Fábricas de Cultura, constrói uma linha do tempo com performances nas áreas externas do Teatro Municipal de São Paulo, onde ocorreu a semana modernista da época, e da Cinemateca Brasileira, para trazer a linguagem cênica inspirada nas grandes obras de Anita Malfatti, importante artista do movimento dos anos 1920. O evento busca promover reflexões sobre a mudança de uma expressão artística e de como a mesma chega ao público.

Em outubro o festival online Esquenta Moderno das Fábricas de Cultura retorna com Rupturas: as estéticas revolucionárias presentes na arte periférica, no dia 23/10, sábado, a partir das 19h. A atividade será recebida pela Fábrica de Cultura Jaçanã e transmitida no canal de YouTube.

Panikinho, rapper, digital influencer e educador, comanda essa conversa sobre as diversas formas e conceitos de artes por vezes consideradas subversivas com uma estética "excêntrica" e múltipla, como alguns elementos do hip-hop, o funk, o trap, o grafite, o neo soul, o afrobeat, os saraus, dentre outras.

Essa programação das Fábricas de Cultura faz parte do Modernismo Hoje, conjunto de ações da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo de São Paulo para celebrar o centenário da Semana de Arte Moderna de 1922. As atividades podem ser acompanhadas no hotsite +Cultura da Poiesis - Organização Social de Cultura responsável pela gestão das Fábricas de Cultura das zonas norte e sul de São Paulo, inclusive da unidade em Diadema.

Comente aqui