Data: 14/04/2021 10:13 / Autor: Redação / Fonte: Secretaria dos Transportes

Mesmo com pandemia, Porto São Sebastião cresce 7,8% em 2020

Aumento na movimentação garante faturamento de R$ 23 milhões; Em 2020, o Porto voltou a operar carga de açúcar após 15 anos


Crédito: Divulgação

O Porto de São Sebastião registrou aumento de 7,8% na movimentação de cargas em 2020 e um faturamento de quase R$ 23 milhões. Foram 799.482 toneladas, em todo o ano passado, ante 741.750 em 2019. Essencial para a logística do Estado de São Paulo, o Porto São Sebastião tem mantido toda a sua operação dentro da normalidade e não parou em nenhum momento diante da pandemia do coronavírus, garantindo a movimentação de cargas essenciais para a população. 

Em 2020, o grande destaque do Porto foi voltar a operar carga de açúcar para exportação após 15 anos. Essa carga representou 17,6% da movimentação anual, 140.845 toneladas, envolvendo 8 navios e milhares de carretas e ainda gerou 400 empregos na região. 

A alta no movimento de cargas do Porto de São Sebastião é expressiva principalmente devido à desaceleração econômica mundial provocada pela pandemia. Em 2020, ano com 9 meses de luta contra a covid, o PIB nacional caiu 4,1% enquanto o paulista registrou aumento de 0,4%. 

O Secretário Estadual de Logística e Transportes, João Octaviano Machado Neto, destaca a importância de ações integradas para garantir o abastecimento de produtos durante a pandemia. “O Estado de São Paulo tem um papel essencial na logística e no desenvolvimento econômico do País. Apesar da pandemia, o Porto de São Sebastião não parou e trabalhou incansavelmente para ampliar a sua atuação. Resultado desse esforço foi positivo ao conseguir manter uma alta na movimentação”. 

Além do açúcar, outras cargas contribuíram para a alta na movimentação, como a importação de barrilha (430.492 toneladas), malte e cevada (135.505 toneladas) e ulexita (30.106 toneladas). As três principais fontes da receita tarifária em 2020 foram a importação de barrilha, o uso do canal pelos navios petroleiros e a exportação de açúcar. 

“Apesar da pandemia e da iminência da desestatização do Porto de São Sebastião, a atual administração vem envidando todos os esforços na busca de aumento das cargas atuais, bem como na busca de novas cargas, como o açúcar, que foi conquistado no ano passado”, afirma Paulo Tsutomu Oda, Presidente da Companhia Docas de São Sebastião. 

Em 2020, a Companhia Docas ainda conseguiu renovar a Licença de Operação do Porto de São Sebastião, junto ao IBAMA, atendendo a todas as condicionantes impostas pelo Órgão. 

Ampliação da capacidade de operação - Para melhorar ainda mais o desempenho do Porto de São Sebastião, a Companhia Docas iniciou em março as obras de dragagem de manutenção para restituir a capacidade de operação. 

Os serviços irão restabelecer as profundidades e permitir que navios maiores ou mais carregados operem com mais segurança nas atracações e desatracações, e durante a carga ou descarga. O investimento será de R$ 3,1 milhões e a previsão inicial é de terminar a obra em aproximadamente 60 dias. 

Por meio de duas draga de sucção e recalque, o material depositado nas áreas de atracação e bacia de evolução serão removidos e lançados em terra, na área de despejo licenciada pelo Ibama. A previsão inicial é de dragar cerca de 96,4 mil metros cúbicos de sedimentos. 

A CDSS também irá desenvolver programas de comunicação e de educação ambiental junto aos moradores das áreas próximas ao Porto e pescadores da região, para verificar e intervir em possíveis impactos da obra. O objetivo é desenvolver ações educativas para lidar de maneira prática com as demandas levantadas, como andamento da obra, questionamentos e sugestões.

Comente aqui